Fiocruz: Sindicato dos Trabalhadores solicita que mais aprovados no concurso 2016 sejam convocados

Essa medida visa atender alta demanda da fundação durante o atual surto do novo Coronavírus no país

A direção do Sindicato dos Trabalhadores da Fiocruz (Asfoc) encaminhou, na última quinta-feira (19/03) um pedido à Presidência da República e aos representantes dos principais Ministérios e do Congresso Nacional para que sejam chamados excedentes, isto é, os candidatos aprovados além do número de vagas oferecidas no último concurso da instituição, realizado em 2016.

A solicitação leva em conta a importância da Fundação Oswaldo Cruz nas pesquisas sobre o Covid-19, o novo Coronavírus que já causou 47 mortes no Brasil, segundo dados atualizados. Além disso, essa instituição é referência na área científica no país, atuante desde o ano de 1900 na divulgação de ações preventivas e na capacitação dos profissionais para que possam atuar no combate e diagnóstico dessa e de outras doenças.

Diante dessa pandemia, que deve perdurar por mais tempo do que se imagina, a Asfoc informou que necessita de reforços nos cargos de pesquisador, especialista, assistente técnico e assistente em Saúde Pública. O que pode dificultar o chamamento desses excedentes é o fato do prazo de validade do concurso já ter se encerrado em 20 de abril de 2019, no concurso para técnico e no dia 13 de junho do mesmo ano para pesquisadores.

Em meio à Crise, Fiocruz apresenta déficit de servidores

Na nota encaminhada aos Poderes Executivo e Legislativo, a Asfoc informou que o quadro de servidores na Fundação Oswaldo Cruz está abaixo do ideal, principalmente, neste momento de crise. Ressaltou também que os recentes cortes no orçamento para a realização dos concursos públicos em todo o território nacional não houve uma renovação na classe de profissionais da fundação. Segundo a Nota, o Sindicato faz o seguinte apelo:

Pesquisas para novas vacinas e medicamentos, e a produção de kits de diagnósticos, se fazem vitais. O momento exige investimentos pesados nas áreas de Saúde, Ciência e Tecnologia. Diante desse quadro, a Asfoc reitera o apelo para a convocação imediata dessa ‘tropa de choque’, já avaliada por concurso”.

Relembrando o último concurso da Fiocruz

Há quatro anos, a Fundação Oswaldo Cruz abriu 119 vagas, sendo 61 para a função de técnico (cargo de nível médio) e 58 para pesquisador (de nível superior). Essas vagas seriam preenchidas nos estados do Rio de Janeiro (sede da Fiocruz), Ceará, Rondônia, Pernambuco, Paraná, Bahia, Amazonas, Minas Gerais, Piauí e no Distrito Federal.

As etapas de avaliação consistiram em provas objetivas e exame de títulos, somente para o cargo de pesquisador. A autorização das contratações foi oficializada em abril de 2019. Os novos técnicos, na época, receberam salário de R$3.418,81, enquanto que os pesquisadores tiveram salário de R$7.159,06.

Publicado: 25 de March de 2020