Dicas Degrau: um plano de estudos para quem tem pouco tempo

Como todo bom concurseiro sabe, o tempo é um dos maiores inimigos na hora de se preparar para o tão sonhado concurso público. Para a maioria dos candidatos, é difícil estabelecer um planejamento de estudos eficiente e ao mesmo tempo prático de seguir diariamente, sem que depois de algum tempo os imprevistos e o cansaço da rotina acabem dispersando o estudante da meta. Pensando nisso, a Degrau Cultural elaborou uma estratégia para você otimizar seu tempo de estudo por matéria e conquistar a vaga naquele seu concurso dos sonhos!


O esquema é muito simples: 1h30 de estudo por matéria, divididas em quatro etapas.


Organizando a matéria:


A primeira etapa é a mais curta, mas não menos importante. Definir quais tópicos serão estudados no dia antes de começar efetivamente os trabalhos é fundamental como forma de desenvolver objetivos claros para o dia e evitar a perda de foco. Mas cuidado: não adianta definir uma meta que não possa ser alcançada, pois o resultado será frustração e daí para se dispersar após alguns dias é um passo.


Para esta etapa, 10 minutos devem ser o suficiente para o estudante organizar a matéria e começar a colocar a mão na massa.


Lendo:


Passada a organização da matéria, é chegada a hora de se debruçar sobre o conteúdo. A parte da leitura é o seu contato direto com o material de estudo, por isso é importante estar o mais concentrado o possível nesta etapa.


O ideal é estudar em ambientes silenciosos, onde a pessoa não tenha muitas possíveis distrações (como televisão, videogames, outras pessoas, etc), mas cada pessoa tem seu nível de facilidade de encontrar foco. O importante é encontrar concentração para absorver o máximo do que se está lendo. Aproximadamente 30 minutos de leitura devem ser suficientes para o estudo não se tornar massante e o candidato absorver uma boa quantidade de conteúdo por dia.


Resumindo:


Após a leitura, uma boa forma de fixar a matéria é resumir o conteúdo que foi lido. Resumir a matéria reaviva a memória do estudante após a leitura, o que é importantíssimo para evitar o famoso “deu branco” na hora da prova. Além disso, ao elaborar um resumo, o estudante está treinando sua capacidade de elencar prioridades, uma vez que só os principais pontos da matéria podem entrar num resumo.


Não há regras muito rígidas nesta etapa, os modos que cada estudante encontra para trabalhar o conteúdo lido são variados. Uma forma muito eficaz apontada por muitos é através da elaboração de perguntas e respostas sobre os principais pontos da matéria, ao invés de um texto corrido. Há também quem goste de explicar a matéria para terceiros para fixar melhor o conteúdo na própria cabeça.


O caminho escolhido pouco importa, o essencial é que o estudante encontre um modo de guardar bem a matéria e não esquecer de detalhes importantes. O ideal é que o aluno não gaste muito mais do que 30 minutos na parte de resumo.


Exercícios:


Por último, mas definitivamente não menos importante, vem a parte dos exercícios. Nesta etapa, o estudante irá se testar, verificar se de fato fixou o conteúdo lido e resumido anteriormente. O ideal é que o candidato busque provas antigas ou simulados do concurso que pretende fazer, mesmo aqueles que são adeptos da fixação por perguntas e respostas. É fundamental que, além de saber explicar para si mesmo e responder suas próprias perguntas, o candidato conheça também a forma de cobrar da banca em questão.


São necessários mais ou menos 20 minutos diários de exercício para manter em forma. Seguindo os três passos anteriores, além de acompanhar a própria evolução nos exercícios ao longo do tempo, o concurseiro tem tudo para chegar com o conteúdo na ponta da caneta (esferográfica e de material transparente) no dia da prova!

Publicado: 10 de July de 2018