Conheça melhor a PRF e o que fazem seus agentes

Se você acompanha no nosso blog da Degrau, provavelmente já está sabendo sobre o concurso que está sendo realizado pela Polícia Rodoviária Federal. Todos os detalhes técnicos do Concurso PRF já estão fechados, já tendo inclusive edital concluído, faltando apenas a divulgação oficial do documento com o cronograma da seleção para os interessados.


Mas você, que está pensando em se inscrever, conhece bem a corporação? Sabe, afinal de contas, quais são as atribuições de um policial rodoviário federal? Se você sente que não sabe a resposta destas perguntas ao certo, então esse texto foi feito para você!


Nosso intuito aqui é te trazer um panorama básico de tudo que você precisa saber sobre uma das maiores corporações policiais de toda a América Latina. Conhecer a instituição onde você pretende trabalhar pode não parecer, mas é um grande diferencial em um concurso como o da PRF, onde os participantes não só passam pelos exames escritos como também por diversas etapas de treinamento.


A história da PRF


A corporação foi criada pelo presidente Washington Luiz, inicialmente sob o nome de “Polícia de Estradas”. A data de fundação foi o dia 24 de julho de 1928, data que hoje é considerada o Dia da Polícia Rodoviária Federal. Contudo, em seus anos iniciais, a instituição não tinha nem sombra do nível de abrangência e efetividade que alcançou nos dias de hoje.


A situação começou a mudar a partir de 1935. Neste ano, Antônio Felix Filho, conhecido como “Turquinho”, começou a organizar as primeiras forças de patrulha nas rodovias Rio-Petrópolis, Rio-São Paulo e União Indústria. O quadro inicial era de um total de 450 patrulheiros. Até então, os profissionais eram denominados “Inspetores de Tráfego”.


No início dos anos 40, a corporação passou a ser chamada pelo nome que conhecemos hoje: Polícia Rodoviária Federal. Em 1988, com o advento da Constituição Cidadã, o órgão passou a fazer parte Sistema Nacional de Segurança Pública, configuração que se mantém até hoje e ampliou consideravelmente a atuação do órgão.


Organização interna da PRF e atribuições da carreira


A Polícia Rodoviária Federal está presente em todo os estados da federação e a administração central está por conta do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF), sedeada em Brasília. Cada estado tem sua Superintendência Regional, que por sua vez é dividia em delegacias.


As delegacias coordenam as Unidades Operacionais de Policiamento (UOPs), que são os pontos de fiscalização efetivamente. São mais de 450 UOPs espalhadas por centenas de municípios ao redor do país, o que garante a abrangência dos serviços prestados.


Os agentes PRF são responsáveis, em linhas gerais, por fazer a fiscalização e o patrulhamento extensivo das principais vias intermunicipais (de maior relevância) e interestaduais Brasil afora. Dentro deste serviço, estão atribuições importantíssimas para o funcionamento de nosso país, como:


– Verificar o cumprimento das leis de trânsito e aplicar as punições cabíveis;


– Realizar os levantamentos e mapeamentos relacionados a acidentes de trânsito nas estradas;


– Prestar socorro em casos de acidente nas rodovias;


– Credenciar os serviços de escolta;


– Assegurar a livre circulação nas rodovias brasileiras;


– Combate ao tráfico e contrabando de mercadorias


Sobre as condições da carreira, os policiais rodoviários federais recebem, inicialmente, salário de R$10.357,88 (já corrigido para o ano de 2019 e incluindo o vale-alimentação no valor de R$458). Os candidatos às vagas devem ter ensino superior, em qualquer área, e carteira de habilitação categoria B. Homens e mulheres de 18 a 65 anos estão aptos a participar da seleção.

Publicado: 10 de October de 2018