Conheça a história da Débora, técnica judiciária aprovada no TRT-RJ

Diversas seleções para o meio jurídico estão sendo trabalhadas neste ano. Espera-se que órgãos como a PGE-RJ, TJ-RJ e TCM-Rio realizem concursos públicos este ano, sobretudo para suas áreas de apoio técnico-administrativo.

Este tipo de seleção requer um alto nível de dedicação, pois as vagas costumam ser escassas e a quantidade de inscritos muito grande. Além disso, o nível de exigência das provas costuma ser alto. Sem um planejamento de médio a longo prazo, é muito difícil conquistar uma vaga em cargos deste tipo.

Foi por isso que a Débora Hall começou a se interessar pelo mundo dos concursos públicos desde que estava na faculdade. Esse interesse se transformou em foco e com isso ela conquistou aprovação no disputadíssimo Concurso TRT-RJ para técnicos judiciários. Quer saber como? Confira o que ela tem para contar!

 “Eu estudei muito e eu sempre achava que não estava bom”

O caminho para aprovação nunca é fácil e para Débora não foi diferente. Por já estar interessada pelos concursos da área jurídica, ela iniciou o curso da Degrau Cultural para o Concurso TRE-RJ do ano. Assim, como na maioria dos casos, ela não passou na primeira tentativa, mas se aprimorou com a experiência

“Eu comecei fazendo o curso para o TRE-RJ, foi um pouco antes da prova para o TRT. Claro que são tribunais completamente diferentes, matérias um pouco diferentes, mas eu acho que a experiência no TRE me deu um ganho de base para o Concurso do TRT.”

Segundo Débora, ter o apoio de um curso foi fundamental na sua preparação para as seleções. O direcionamento pedagógico e o estímulo constante de profissionais especializados ajudaram a encontrar o melhor caminho a se seguir.

“Embora você tenha a matéria no edital, você precisa de alguém que te direcione, e acho que o curso é importante neste sentido, ele te mostra qual caminho você deve seguir.”

A preparação, segundo Débora, não tinha mistério: horas e horas fazendo muitos exercícios. Foram vários exercícios anteriores da mesma banca, o máximo que conseguia por dia. O fato de não ser graduada em Direito era uma dificuldade a mais, mas não foi impeditivo para que Débora praticasse.

“Eu estudei muito e eu sempre achava que não estava bom, eu sempre precisava estudar mais. Eu acho que é isso que as pessoas precisam. Além de acreditar que dá certo, porque dá, estudar até passar!”

 

                           Fale agora com um consultor

Publicado: 13 de May de 2019