Concurso TCE RJ 2020: O que os candidatos podem esperar?

Último concurso, em 2012, pode ser uma importante referência

Após “bater o martelo” e assinar contrato definitivo com o Cebraspe para ser a banca organizadora, o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro em breve divulgará o edital oficial, que deve conter, entre outros dados, a data das provas e o conteúdo das provas.

Pelo regulamento, aprovado e divulgado em maio de 2019, a prova do concurso do TCE-RJ será dividida em três etapas: Prova Objetiva de caráter classificatório e eliminatório, Prova Discursiva também de caráter classificatório e eliminatório e a Avaliação de Títulos, somente em caráter classificatório. Como ainda não foi definido de que forma serão avaliados os concurseiros em cada uma dessas etapas, saibam que em 2012, o concurso para a mesma vaga de analista de controle externo, foram cobradas 100 questões, divididas em 40 de conhecimentos básicos e 60 de conhecimentos específicos na prova objetiva (no modelo múltipla escolha), e uma redação e mais 4 questões na prova discursiva.

Na Prova Objetiva, que valia 100 pontos, caíram questões de Português (com questões direcionadas a interpretação de texto e conhecimentos de gramática e sintaxe), Noções de Direito (questões sobre a interpretação da lei e de todos os regimentos de direito) Legislação Básica aplicável ao TCE‐RJ (questões sobre onde o TCE pode interferir e o trabalho do órgão) e Conhecimentos Básicos divididas em 40 questões. As outras 60 questões eram específicas à especialidade a qual o indivíduo se credencia. Se por acaso você se candidatar à área de ciências contábeis, receberá 60 questões dela e, obviamente, sua prova será diferente de quem se candidatar para Direito, Controle Externo e Tecnologia da Informação.

Na Prova Discursiva, que também tinha pontuação máxima em 100 pontos, haviam 4 questões de conhecimentos básicos e específicas para serem escritas, cada uma com 20 pontos, e elaboração de uma redação sobre algum tema da atualidade, que também tem peso de 20 pontos. Como é de praxe, na prova discursiva, o candidato deve caprichar na caligrafia, pois a letra deve ser legível para o corretor.

Como a edição 2012 foi organizada pela Fundação Escola Superior do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (FEMPERJ), é provável que o concurso 2020 sofra algumas mudanças e deva ser no formato mais próximo ao estilo de provas organizadas pelo Cebraspe, no já comentado modo de avaliação “onde um erro elimina um acerto”, difundido nacionalmente na avaliação das provas do ENEM. Ainda assim, é muito válido o candidato se antecipar e iniciar a preparação para esse concurso antes da divulgação do edital para não ficar para trás em relação ao demais concorrentes.

 

Fale agora com um consultor

Publicado: 13 de January de 2020