Concurso INSS: diretor da Fenasps reforça a necessidade de um novo edital

Para Moacyr Lopes a única solução para o problema atualmente enfrentado pelo INSS é a realização de um novo concurso público.

Desde que os trabalhos presenciais nas agências do INSS retornaram, muitos problemas surgiram aos montes. Além da questão envolvendo os médicos peritos, que se recusaram a voltar a trabalhar em função da falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários para garantir a segurança deles em meio à pandemia, a pouca quantidade de servidores atuando nas agências desencadeia em filas enormes, aglomerações e a insatisfação dos cidadãos.

Em meio a atual crise do INSS, o diretor da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), Moacyr Lopes, afirmou em uma entrevista que a única solução para a carência de profissionais no INSS é a abertura e realização de um novo concurso público. Ele complementa que essa possibilidade de concurso está cada vez mais real, mas é preciso considerar também que o cenário atual exige cautela em função da pandemia do novo Coronavírus e também por conta de algumas crises políticas que envolvem o Governo Federal. Mas se você, concurseiro, tem como meta ingressar no INSS via concurso, Moacyr antecipa que a pressão popular pode favorecer nessa luta por novas contratações.

No mês de agosto, Moacyr participou de uma reunião com o secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, Wagner Lenhart, que declarou a sindicalista que o Governo Federal está realizando uma alteração no processo de trabalho da União, o que poderá afetar no prazo para abertura de um próximo concurso no INSS. A expectativa é de que a pauta “Concurso Público no INSS” seja discutida num próximo encontro entre Fenasps e Lenhart, que ainda será marcado.

E quando ocorrerá o próximo concurso?

Sabemos que a necessidade do Instituto Nacional de Serviço Social (INSS) para realizar um concurso público é para ontem. Porém, como o órgão vai realizar uma espécie de redimensionamento do quadro de pessoal, algo que será feito até maio de 2021, esse tão aguardado concurso poderá acontecer só em 2022.

Se for aberto, o próximo concurso deve trazer a mesma quantidade de vagas solicitadas ao Governo Federal em 2018, 7.888 vagas, destinadas para cargos de nível médio e superior. São esses:

Técnico

  • Nº de vagas: 3.984;
  • Nível de Escolaridade: Médio;
  • Remuneração: R$5.186,79.

Analista

  • Nº de vagas: 1.692 vagas;
  • Nível de Escolaridade: Superior
  • Remuneração: R$7.659,87.

Médico Perito

  • Nº de vagas: 2.212;
  • Nível de Escolaridade: Superior em Medicina;
  • Remuneração: R$12.683,79.

Aumento de aposentadorias até 2022

Para piorar o déficit de servidores do INSS, está prevista uma onda de aposentadorias, isto é, cerca de um a cada quatro servidores poderão se aposentar até 2022:

É uma situação que vai levar a um nocaute no setor, se não houve concurso. (...) Então há esse prejuízo para o INSS. Há esse prejuízo para o brasileiro, que fica nessa situação de demora para ser atendido. Enfim, há uma necessidade enorme de concurso hoje no Brasil”, declarou Moacyr.

O diretor da Fenasps lembra quem até dezembro de 2019, houve uma redução de 40% do quadro ativo de servidores, sendo que muitas dos que saíram, inclusive, poderiam trabalhar por mais tempo. Esse aumento se deu em função de uma política adotada pelo governo, que não motivava a permanência desses servidores. Com a saída maior de profissionais, aqueles que seguem trabalhando para o INSS acabam sendo sobrecarregados, tendo que dar conta dos milhares pedidos que são enviados pelos segurados todos os dias.

A ineficiência dos serviços oferecidos pelo INSS é ocasionado ainda por um sistema tecnológico considerado precário e obsoleto:

90% de serviços digitalizados, acumulando numa fila. Mas como fazer isso sem funcionários? O Meu INSS não responde plenamente às dúvidas do segurado”, aponta Moacyr Lopes.   

 

Fale agora com um consultor!

 

Publicado: 24 de September de 2020