Concurso IBGE: órgão garante a devolução das taxas de inscrição

Com o cancelamento do concurso para agente e recenseador, IBGE comunica que trabalha para devolver a taxa paga pelos candidatos já inscritos. Uma nova seleção será aberta.

Através do perfil no Instagram, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou acerca do processo de devolução da taxa de inscrição aos candidatos inscritos no concurso para agentes e recenseadores que foi cancelado em consequência da não-renovação do contrato com o Cebraspe, organizador da seleção:

“O IBGE está trabalhando para definição dos melhores procedimentos para reembolso, além da contratação da empresa para realização do processo seletivo dos recenseadores e agentes censitários que serão fundamentais para levarmos a campo o Censo 2022 no próximo ano". informa um trecho da publicação do IBGE.

Ainda assim, o IBGE não informou quando os candidatos terão o dinheiro de volta. O ideal é que as pessoas que aguardam por essa devolução acompanhem os canais de comunicação do IBGE para saber das novidades sobre o assunto.

Um novo Concurso IBGE deverá ser aberto ainda neste ano

Em paralelo às questões envolvendo o concurso cancelado, o IBGE trabalha para abrir um novo concurso para os mesmos cargos. Porém, ainda não está definido se será mantido o atual número de vagas temporárias, que é de 204.307. Em resposta à equipe de reportagem da DEGRAU CULTURAL, a assessoria de imprensa do IBGE informou que “os dados exatos sobre o número de vagas e outras informações sobre o PSS (Processo de Seleção Simplificada) serão conhecidos quando o edital for publicado no DOU (Diário Oficial da União)”.

No momento, acredita-se que o instituto contratará servidores para ocuparem 181.898 vagas de recenseador (cargo de nível fundamental), 5.450 para agente censitário municipal e 16.959 para agente censitário supervisor (esses dois de nível médio). O objetivo do órgão é contratar mais de 204 mil servidores para atuarem no Censo Demográfico, que terá início em 1º de junho de 2022, segundo previu o presidente do IBGE, Eduardo Rios Neto.

Essas oportunidades serão distribuídas para todo o país. Só no estado do Rio de Janeiro, o IBGE destinará 17.708 vagas temporárias, sendo 15.950 para recenseador, 287 para agente censitário municipal e 1.471 para agente censitário supervisor.

Quem ocupar essas oportunidades de agente municipal e agente supervisor terá remuneração de R$2.558 e R$2.158, respectivamente, com carga horária de 40h semanais. Já um recenseador receberá remuneração condizente com a produtividade, ou seja, quanto mais casas ele visitar para coletar os dados, maior será seu salário. Uma referência desse valor remunerativo a um recenseador se encontra no Rio de Janeiro. Veja o que ganhará um recenseador ao trabalhar no estado fluminense em jornadas de 25h, 30, 40h e 50h semanais:

  • R$1.305 (25h semanais e 50 entrevistas);
  • R$1.590 (30h e 61 entrevistas);
  • R$2.117,24 (40h e 81 entrevistas);
  • R$2.638,08 (50h e 101 entrevistas).

Dentro dessas remunerações está incluso o auxílio-alimentação no valor de R$458.

Vale frisar que a realização do concurso público e do Censo Demográfico depende da aprovação do Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2022, que está no Congresso Nacional desde o fim de agosto. Após muitas pressões externas, o Governo Federal encaminhou ao Congresso um pedido para ampliar de apenas R$2 bilhões para R$292.907.087 o valor do orçamento destinado ao IBGE.

Tendo o novo orçamento aprovado, e posteriormente sancionado pela Presidência da República, o Censo Demográfico poderá, finalmente, acontecer, depois de dois adiamentos seguidos: o primeiro, em função da pandemia da Covid-19; o segundo, devido a redução de mais de 90% do orçamento previsto para o IBGE neste ano.

 

Fale agora com um consultor!

 

Publicado: 27 de October de 2021