Concurso CGU: retificada distribuição das vagas para auditor

Maior parte das vagas de auditor da Controladoria-Geral da União para a área de Correição e Combate à Corrupção será de ampla concorrência.

O edital do concurso da Controladoria-Geral da União passou pela primeira retificação e foi uma mudança significativa para quem irá concorrer ao cargo de auditor de controle externo. As 54 vagas destinadas para a área de Correição e Combate à Corrupção, em sua maioria, serão destinada para ampla concorrência, 40 ao todo. 11 vagas serão reservadas para o sistema de cotas para negros e três para deficientes.

Essa mesma carreira também sofreu retificação no conteúdo programático na prova de Direito Processual Civil. Com essas mudanças aplicadas, as inscrições para o Concurso CGU seguirão em vigor até o dia 1º de fevereiro, pelo site da FGV, que organiza essa seleção.  

Para que a inscrição seja concluída, é preciso efetuar o pagamento da taxa de inscrição nos valores de R$80 (técnico) ou R$120 (auditor). Ao se inscrever, o candidato precisará informar se pretende concorrer em ampla concorrência ou na reserva de vagas para negros e portadores de deficiência, além de optar pela cidade em que deseja prestar as provas objetivas.

Distribuição das vagas

O cargo de auditor de controle externo detém 300 das 375 vagas totais abertas pela CGU. Para concorrer, é necessário ter nível superior completo em qualquer graduação e os aprovados com remuneração de R$19.655,06 com o acréscimo do auxílio-alimentação de R$458. Essas vagas estão distribuídas entre as seguintes áreas:

  • Auditoria e Fiscalização: com lotação na Região Norte do país e no Órgão Central, no Distrito Federal;
  • Tecnologia da Informação: lotação somente no Órgão Central;
  • Contabilidade Pública e Finanças: lotação no Órgão Central;
  • Correição e Combate à Corrupção: lotação no Órgão Central.

As outras 75 vagas pertencem ao quadro de técnico de controle externo, que deverá ser ocupado apenas por pessoas com nível médio. A remuneração mensal será de R$7.741,31.

Provas objetivas e discursivas em março

A Fundação Getúlio Vargas aplicará as provas do concurso para técnico e auditores no dia 20 de março. A intenção inicial do ministro da CGU, Wagner Rosário, era que as provas acontecessem antes do Carnaval.

Nos próximos dois meses, os candidatos a técnico prestarão aos exames no período da manhã, entre 8h ao meio-dia, e terão que responder a 80 questões de múltipla escolha distribuídas da seguinte forma:

Prova de Conhecimentos Básicos: 15 questões de Língua Portuguesa, cinco de Língua Inglesa, cinco de Raciocínio Lógico-Quantitativo, cinco de Noções de Tecnologia da Informação;

Conhecimentos Específicos: 10 de Noções de Direito Constitucional, 10 de Noções de Direito Administrativo, 10 de Noções de Administração Financeira e Orçamentária, 10 de Noções de Administração Geral, 10 de Controladoria-Geral da União (organização, competências e sistemas estruturantes).

Para a função de auditor, os exames serão aplicados nos dois turnos: pela manhã (das 8h até 12h30min: prova objetiva de Conhecimentos Básicos e prova discursiva) e à Tarde (das 15h até 19h: provas objetivas de Conhecimentos Específicos e de Conhecimentos Especializados). No total, serão cobradas 110 perguntas, sendo 30 de Conhecimentos Básicos, 40 de Conhecimentos Específicos e 70 de Conhecimentos Especializados.

  • Conhecimentos Básicos: 15 de Língua Portuguesa, cinco de Língua Inglesa, 10 de Administração Pública e Políticas Públicas;
  • Conhecimentos Específicos: 10 de Direito Constitucional, 14 de Direito Administrativo, cinco de Administração Financeira e Orçamentária, seis de Fundamentos de Auditoria Governamental e cinco de Controladoria-Geral da União (organização, competências e sistemas estruturantes).

Conhecimentos Especializados para auditores

Área de Auditoria e Fiscalização: 10 questões de Auditoria Governamental e Controle Interno, 10 de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, 10 de Avaliação de Políticas Públicas e mais 10 de Finanças Públicas;

Área Correição e Combate à Corrupção: 16 questões de Direito Administrativo Sancionador, oito de Direito Civil e Processual Civil, oito de Direito Penal e Processual Penal e oito de Direito Empresarial.

Área de Tecnologia da Informação: oito questões de Ciência de Dados, oito de Desenvolvimento de Sistemas, oito de Bancos de Dados, oito de  Infraestrutura Tecnológica e oito de Segurança da Informação;

Área de Contabilidade Pública e Finanças: 10 questões de Auditoria Governamental, 10 de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, cinco de Análise de Demonstrações Financeiras, cinco de Estatística e 10 de Finanças.

No mesmo dia, os candidatos irão prestar a prova discursiva, em que será exigida a produção de um texto de até 90 linhas, além de responder a uma questão de até 15 linhas, ambas a respeito de temas relacionados à Administração Pública, Direito Constitucional, Direito Administrativo ou Administração Financeira e Orçamentária. A dissertação valerá 50 pontos e a questão 20 pontos.

Os exames serão aplicados em Brasília e nas capitais dos sete estados da Região Norte do país, além de outras três cidades escolhidas para representar as demais regiões do país: Porto Alegre (região Sul), São Paulo (região Sudeste) e Recife (região Nordeste).

Fale agora com um consultor!

Publicado: 17 de January de 2022