Concurso Banco do Brasil: empresa declara que avançou nos estudos e planejamento

Recente troca na presidência do Banco do Brasil não gerou atrasos nos estudos e no planejamento acerca da abertura do novo concurso para escriturários.

Os concurseiros que pretendem prestar o próximo concurso de escriturário do Banco do Brasil temeram um possível atraso nos preparativos em função da mudança de chefia no banco, quando André Brandão substituiu Rubem Novaes, que pediu demissão em julho. Porém, o próprio BB informou que “segue avançando nos estudos e planejamento para o próximo concurso”, e ainda concluiu:

Detalhes e todas as informações serão amplamente divulgadas quando do lançamento de eventual concurso, por meio de edital”.

De qualquer modo, os concurseiros seguem ansiosos por mais informações, como o quantitativo de vagas a serem ofertadas e os requisitos que serão cobrados pela empresa. Segundo divulgou o jornal O Estadão há dois meses, o próximo edital deverá focar na área de TI, com um total de 120 vagas destinadas a quem possui formação em Tecnologia da Informação. Especula-se, então, que esse pode ser o primeiro concurso sem ser exclusivo do cargo de escriturário tradicional. Porém, não foi descartado que o novo concurso seja tanto para escriturário em TI quanto que para escriturário tradicional, o que nos leva a duas hipóteses:

  • 1ª Hipótese: seleção para escriturário cobrando nível médio como requisito e com provas focando em Tecnologia da Informação;
  • 2ª Hipótese: concurso específico para a área de Tecnologia da Informação, com exigências específicas.

Apesar das informações do Jornal O Estadão, o Banco do Brasil preferiu não confirmar nada a respeito por enquanto.

Qual foi o foco do último concurso do Banco do Brasil?

No ano de 2018, cerca de 150 mil inscritos prestaram as provas para o último concurso de escriturário. Desta vez, o conteúdo programático das disciplinas trouxe um maior número de questões na parte de Conhecimentos de Informática, ao invés dos Conhecimentos Bancários, além de incluir no arsenal de conteúdos a disciplina de Probabilidade e Estatística.

Na época, as provas foram aplicadas no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, cidades as quais iriam trabalhar os aprovados. As avaliações foram compostas por 70 questões, das disciplinas de:

  • Língua Portuguesa (05 questões);
  • Língua Inglesa (05 questões);
  • Matemática (05 questões);
  • Atualidades do Mercado Financeiro (05 questões);
  • Probabilidade e Estatística (20 questões);
  • Conhecimentos Bancários (05 questões);
  • Conhecimentos de Informática (25 questões).

Os selecionados foram contratados pelo regime celetista. No mês de julho, a homologação desse concurso venceu, abrindo caminho para a abertura de um novo edital. 

 

Fale agora com um consultor!

 

Publicado: 16 de October de 2020