Concurso PC-RJ: novo secretário tem experiência em seleções passadas

Na época em que comandou a Polícia Civil do Rio de Janeiro, entre 2009 e 2011, Allan Turnowski abriu concursos públicos e convocou os aprovados.

Nesta terça-feira, 15 de setembro, o governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, realizou a troca de comando da Polícia Civil. Saiu Flávio Brito, que estava no cargo desde o início de junho, e entrou Allan Turnowski, que já havia assumido a função de secretário da corporação entre os anos de 2009 a 2011. E nessa época ele comandou a realização de um concurso público para preencher vagas na corporação.

No ano de 2009, Turnowski abriu edital com 150 vagas para o cargo de delegado. No ano seguinte, Turnowski foi escolhido como patrono da turma de aprovados no concurso, que passaram pelo curso de formação na Academia de Polícia (Acadepol). Ainda em 2010, o atual secretário convocou os aprovados nos concursos para investigador e oficial de cartório.

No último ano de gestão, Turnowski deu início aos preparativos do certame para perito legista para que a seleção fosse aberta na gestão da delegada Martha Rocha. Esses exemplos comprovam que o novo secretário da Polícia Civil tem experiência com concursos públicos e se mostra favorável à abertura deles e à recomposição dos quadros. Afinal, das 23 mil vagas previstas em lei, a Polícia Civil do Rio de Janeiro possui mais de 15 mil cargos não-preenchidos, ficando evidente um grave déficit de servidores, um problema que poderá ser resolvido ou minimizado com a realização do próximo concurso.

Foi para suprir parte dessas carências, que o governador afastado, Wilson Witzel, autorizou a realização de um concurso para a PC-RJ, com 864 vagas, distribuídas entre sete carreiras:

  • 12 vagas de Auxiliar de Necropsia – para candidatos com nível fundamental completo;
  • 16 vagas de Técnico de Necropsia – para quem possui nível médio completo;
  • 20 vagas de Perito Criminal – para candidatos com nível superior em Engenharia, Informática, Farmácia, Veterinária, Biologia, Física, Química ou Ciências Contábeis;
  • 54 vagas de Perito Legista – para quem tem nível superior em Medicina, Odontologia, Farmácia ou Bioquímica;
  • 47 vagas de Delegado – para graduados em Direito;
  • 118 vagas de Investigador – para concorrentes com nível médio completo;
  • 597 vagas de Inspetor – para quem tem formação superior em qualquer área;

Perfil profissional do novo secretário

Allan Turnowski concedeu uma entrevista ao Jornal O Globo, já como atual secretário da Polícia Civil, e declarou que o foco de sua mais nova gestão será o combate aos crimes de rua, como os roubos de celular e de carros e assaltos em transportes públicos:

A polícia, muitas vezes, se preocupa em fazer grandes operações em favelas, mas se esquece de combater os roubos comuns, por achar que são menos importantes, mas não são. É isso que traz a sensação de insegurança. Falta um equilíbrio entre as ações. É isso que quero empregar na minha administração”.

A atuação das milícias também estará na pauta das ações da Polícia Civil com Turnowski na chefia, tendo como estratégia aparelhar ainda mais o Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil: “O direito de ir e vir das pessoas, seja em territórios dominados por milicianos e traficantes precisa ser garantido. Vamos estudar e adaptar as ações de inteligência da Polícia Civil, sempre com muita investigação”.

A expectativa é de que os interessados em ingressar à corporação e se unir ao novo secretário nessas operações sejam avaliados no primeiro trimestre do próximo ano, já que, segundo a delegada e vice-presidente da Fundação de Apoio ao Ensino Pesquisa e Desenvolvimento da corporação (Faepol), Thaianne Moraes, só vale a pena divulgar os sete editais quando houver condições sanitárias seguras para realizar as provas, para não serem obrigados a adiá-las depois.

Já que estamos falando sobre as provas, os candidatos já sabem que poderão concorrer a mais de um cargo, uma vez que os exames serão aplicados em datas diferentes. Vale salientar que isso só será possível se o candidato estiver dentro dos requisitos básicos dos cargos aos quais for concorrer, é claro.

De acordo com o termo de referência, uma espécie de espelho do que será o edital desse concurso, os candidatos ao cargo de delegado serão avaliados por meio de provas objetivas, provas discursivas, provas orais, teste de aptidão física (TAF), exame psicotécnico e exame médico. Já os concorrentes dos demais cargos passarão por quase todas essas etapas, exceto pelas provas discursivas e orais.

Os habilitados nessas etapas citadas ainda passarão por curso de formação e prova de investigação social, ambos geridos pela Academia Estadual de Polícia Sylvio Terra (Acadepol). Os novos profissionais receberão as seguintes remunerações:

Em todos esses valores está incluso o pagamento do auxílio-alimentação de R$264.

 

Fale agora com um consultor!

 

Publicado: 15 de September de 2020