Lincoln Siebra

Lincoln Siebra

Oficial de Chancelaria - Ministério das Relações Exteriores

Classificado

Meu nome é Lincoln Siebra, 54 anos, fui aprovado no Concurso de Oficial de Chancelaria, do Ministério das Relações Exteriores, realizado em 2016.Trabalhava na área em que me formei: vídeo. Então fiquei desempregado e não sabia o que fazer. Estava sem ideia. Sem perspectivas. Fiz muitos concursos diferentes e já perdi a conta de quantos foram. Esse foi o primeiro em que fui aprovado com alguma chance de passar. Nos outros concursos em que passei foi com uma classificação muito baixa, o que equivalia, na prática, a não ter passado. Eu desisti de estudar para mais concursos em 2016, logo depois desse, e arrumei um emprego, que não era suficiente para pagar as contas, mas dava para ir levando. Só voltei a estudar quando saí desse emprego, no final de 2018. Estudava com as aulas do curso presencial. O maior desafio durante essa trajetória foi o dinheiro acabando e minha situação permanecendo a mesma, de desemprego. Minha ex-mulher sugeriu que eu fizesse Degrau. Disse que era bom e que seria melhor que o curso anterior. Ela disse que a rotina presencial ajudaria a esclarecer as dúvidas que eu tivesse. A contabilidade que estudei foi importante para meu desempenho. A sensação de ser aprovado foi a de um milagre acontecendo, pois não acreditava que pudesse ocorrer. O pedido para a chamada dos excedentes levou anos para ser atendido. Muitas reuniões aconteceram, pelo que sei, ao longo dos anos, para reforçar a necessidade de chamar os excedentes. O processo foi resolvido nos últimos dias de validade do prazo prorrogado. O grupo que lutou por isso foi chamando por telefone cada pessoa da lista, para ter certeza que a publicação da convocação seria com pessoas que iriam mesmo assumir. Fui chamado no penúltimo dia de validade, para confirmar, pois a publicação no Diário Oficial seria no último dia de validade e tinha que ser para valer. Na verdade, só consegui ser o último da lista porque seis ou sete, antes de mim, desistiram por já ter arranjado outro caminho na vida, depois de quatro anos de espera. Eu gosto de estudar. Gosto de aprender. Gosto de conhecer coisas novas. Então, creio que qualquer um que goste de aprender (e tenha disciplina para estudar, é claro) pode passar. Quanto a um conselho, não sei o que dizer. Não sou bom de conselhos. Já havia desistido de acreditar nesse concurso. E, de repente, minha vida mudou radicalmente. Da dificuldade para vislumbrar um caminho para uma vida nova, cheia de perspectivas. Suponho que o melhor que posso pensar é: acredite em milagres. Eles acontecem!